CLIQUE EM Nossos anuncios.

CLIQUE EM Nossos anuncios.

Seguidores do Saber !

Direitos de Imagens

Direitos de Imagens
Toda imagem visualisada neste blog,são de origem do Google

sábado, 14 de janeiro de 2012

Desculpe-me,mas tenho muito o que fazer!









Uma das primeiras regras da terapia para os portadores de TDAH é evitar fazer muitas coisas juntas, acumular tarefas, principalmente ao mesmo tempo.
Mas parece incrível como nós, mestres do esquecimento e confusão, conseguimos e até gostamos em transformar-nos em "aparelhos" multifuncionais!
Dirigir, falar ao telefone, cozinhar, responder e-mail, conversar com o filho, dar ordens a empregada, separar contas para pagar, escrever um bilhete de amor, trancar as portas...
É impressionante, mas é muito raro eu fazer uma única coisa ao mesmo tempo. Parece que rola uma urticária interna, um comichão pra sair correndo logo dali e fazer outra, ou outras coisas ao mesmo tempo.
Já deixei comida no fogo e fui abastecer o carro. Já cortei as pontas do meu cabelo dirigindo (eu mesma cortei, é claro!). Já tosei meu cachorro e falei ao telefone ao mesmo tempo (coitadinho, ficou um horror!). Já montei mentalmente um orçamento mensal inteiro durante uma aula de yoga...
Obviamente, quase nada disso deu certo, ou muito certo. E a frustração de viver fazendo coisas "mais ou menos" impera em alguns momentos da vida.
Minha ansiedade em terminar logo qualquer projeto me impede de ter resultados melhores. Se resolvo fazer um vestido, por exemplo, fico tão ansiosa, imaginando o momento de vestir aquilo, os lugares onde posso usá-lo, como vai combinar com meu novo par de sandálias, como vai fazer sucesso com as amigas, passa tudo numa velocidade tão grande pela minha cabeça que desconcentro e acabo tendo que jogar o projeto fora, porque ficou um horror tamanha minha ausência mental durante todo o processo.
Por muito tempo acreditei que não tinha talento pra essas coisas, mas agora percebo que minha ansiedade é que atrapalha tudo, seja fazendo várias coisas ao mesmo tempo ou querendo logo terminar aquilo pra ver como ficou.
Projetos a longo prazo, pra mim, são praticamente impossíveis. Ou faço tudo em uma semana, duas no máximo, ou esqueço aquilo e já corro pra outra luzinha piscante que chamou mais minha atenção. E isso é realmente muuuuito complicado na vida adulta!
Já larguei trabalho sério no meio pra ler um livro, cancelei com amigos pra arrumar armários e queimei toda minha poupança num surto momentâneo. Até aí, tudo bem. Agora, penso nas pessoas que magoei, constrangi ou até mesmo perdi pra sempre por causa da minha falta de quietude e paciência, por não estar ali, de fato, quando precisava.
Como corrigir ou tolerar essa característica tão forte e determinante na minha vida?
Fica pra hoje essa questão...

http://eutenhotdaheagora.blogspot.com/

2 comentários:

  1. Maria, luto todo dia contra essa urticária da multitarefa! Se eu pudesse, faria tudo ao mesmo tempo, andando, respirando, falando e pensando! Hahaha! Mas precisamos ser fortes - upalalá - e emitir o mantra "uma coisa de cada vez" todo dia mesmo, senão, não funciona. E depois, como vc disse, ainda ficamos frustradas.
    Se Deus quiser, ainda vou aceitar o fato de que não posso abraçar o mundo com as mãos!

    ResponderExcluir
  2. Isto é coisa que nao tem como controlar,parece um mal do tempo atual,onde pensamos que temos de fazer tudo e o tempo é curto para tanta tranqueira que esta vida nos inventa.Os exemplos aqui colocados são visiveis e passiveis de acontecerem com todos nós.Bela postagem.Um abração Mary.

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget

Crianças Felizes Demais Nosso Blog!