Seguidores do Saber !

Direitos de Imagens

Direitos de Imagens
Toda imagem visualisada neste blog,são de origem do Google

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Desabafos e Depoimentos


Conte sua história


Dê seu depoimento ou conte uma história sobre o que se passou na sua vida devido ao TDAH.

Antes tarde do que nunca

Texto por Jane Barbieri

Olá! Antes tarde do que nunca não é assim? Aos 41 anos estou tentando me conhecer mais, Graças a esse anjo chamado Viviane, só agora estou me dando conta que nunca agi igual minhas amigas, muito mas muito mais sensível, sentindo as coisas com muito mais intensidade, parecendo ver mas pessoas o que meus familiares e amigos não viam!

Bom tenho muitas historias:

- Estar indo para determinado lugar e ter que parar o carro porque não lembrava onde estava indo.
- Ir comprar pão com o dinheiro na mão, ao entrar na padaria ficar prestando atenção na conversa (interessante e claro) das pessoas que ali estavam e esperando minha vez rasgar a nota em pedacinhos.
- Ficar a semana inteira lembrando da reunião na escola, e no dia simplesmente esquecer.
- Esquecer o aniversário da mãe.
- Quando perguntada: Qual a data do seu aniversário? E eu ter que pensar, porque esqueci completamente.
- Estudar muito para determinada prova e chegar na hora, não lembrar absolutamente nada.
- Pegar um filme pra ver duas, três vezes.
- Guardar a escova de cabelo dentro da geladeira, e ficar procurando por horas.
Quando se leva uma vida que parece ter gerado mais crítica que elogios, a gente às vezes esquece do que temos de bom.

Minha vida mudou depois que me apaixonei por um portador de TDAH

Texto por Vanessa

Há 01 ano e 05 meses, tenho um relacionamento com essa pessoa especial.

No iníco foi tudo comum como qualquer inicio de namoro: muita paixão, encontros românticos, companherismo e atenção voltada para o nosso namoro. Ao passar dos meses eu fui conhecendo melhor a minha "caixinha de surpresas", foram muitos términos, muitas brigas, atenção voltada 100% para o trabalho, muito sentimento de abandono. Tinha duas opções, uma era tentar entender e a outra deixar o amor da minha vida ir embora em uma das crises de impulsividade. Dizer que é fácil...isso não é, é uma briga interna diária. Principalmente por pressão externa, minha família e meus amigos não entendem porque eu continuo nessa e sinceramente já me questionei diversas vezes.

Hoje ele inicou o tratamento, passa pelas consultas mas por enquanto não toma medicamentos. Acredito que as crises vão amenizar e isso me incentiva a continuar acreditando que meu amor é maior que qualquer outra coisa.

Denis, Professor Pardal ou o Pimentinha?

Texto por Denis Godoy

Tenho 27 anos e a três descobri que tenho o transtorno.

Hoje, sou casado e minha esposa, sabendo de meu problema, faz de tudo para me ajudar. Tem dias que queria não acordar, pois na maioria deles, nem dormir consigo. Sou atrapalhado quando estou nervoso, fico nervoso por pensar em cometer alguma trapalhada. Perdi várias oportunidades em minha vida por ser assim e só de saber que não é por querer e que tenho uma resposta já me sinto melhor. Sou meio que Prof. Pardal, fico o tempo todo com idéias para facilitar a vida das pessoas, o problema é que na grande maioria, não saem do papel. Por estes dias vi um invento na tevê, o qual, já havia pensado quando menino, mas nunca tive coragem de tirá-lo do papel. Foi decepcionante!

Sou poeta, as vezes sou escritor, as vezes pintor, escultor, mecânico, eletricista e varias outras coisas. Tudo acontece muito rápido na minha cabeça, tudo parece tão claro, tudo parece tão obscuro. Sou capaz de entender, sem explicação, o funcioanemnto de máquinas complexas e não sou capaz de falar sobre coisas tolas com um colega. Não sou capaz de chorar com a morte de um ente querido, mas rolam as lágrimas em um filme que fala de honra ou coragem.

Nunca encontrei alguém como eu, gostaria de saber com vivem e se é difícil manter algo como faculdade ou algum esporte até o fim.

Gostei de ler o que escrevem neste site, ajuda muita gente como eu a não se sentir só. Bem, vou parar por aqui, pois já estou entrando em parafuso e as teclas do computador parecem ser poucas para tantos pensamentos.

Meu nome é Denis imagina quantos me chamam de pimentinha?

Socorro, o TDAH não me larga"
Texto por Sabrina Pral

Oi, eu tenho 23 anos e acabei de descobrir que sou tdah!

Assim que me identifiquei com ele fiquei feliz por começar a acreditar que pelo menos uma parte das besteiras que eu faço na vida não são realmente minha culpa. Mas também muito triste porque afinal, como eu me livro desse trem? Estou fazendo terapia há um mês, mas acho que meu pscicólogo não acredita em mim. Eu não sei se quero ir a um psiquiatra pra ele me dar remédio, pra me robotizar!

Eu adoro não ser como as outras pessoas, adoro viajar pelo mundo da lua, de jupiter, da nebulosa de Orion! Mas o fato é que eu estou aqui, na Terra e tenho uma vida e uma faculdade pra sustentar!

Bom pessoal, obrigada!
As experiências que eu li nesse site me ajudaram a me sentir menos ET nesse mundo!
Um abraço a todos!

Eu sou igual ao meu filho ou ele que é igual a mim?

Texto por Fran Zanato

Aos 34 anos, resolvi tratar o que sempre imaginava não ser normal, tinha que ter uma explicação meu Deus!

Através do diagnóstico, porém nem tão tardio do meu filho mais velho de 18 anos, ouvindo suas conclusões sobre seus sintomas, percebi que eu era igualzinha a ele (ou ele a mim, já que pode ser hereditário) e numa explosão de alegria me vi curada antes mesmo de ir ao médico. Ele estava bem e muito feliz com os resultados do tratamento... era minha chance também!

Vou falar aqui sobre algumas ocasiões como se fossem meus sintomas em uma consulta,ok?

- Já procurei meu filho ao atravessar a rua movimentada e ele estava em meus braços! (Desespero total! Me interna!)
- Já fui a três lugares por mais de três vezes, NA CHUVA E SEM SOMBRINHA, procurar um objeto que EU havia guardado na bolsa em um lugar MAIS FÁCIL de encontrar justamente para não ter este tipo de problema! (affff)
- Já comecei minha faculdade por 6 (seis) vezes em cursos totalmente distintos como administração pública e moda - não terminei nenhuma(ainda)
- Ler nem pensar! Nem foto legenda!
- Um copo de água, para um de meus filhos por exemplo, era fatal eu tomá-la antes mesmo de ter terminado de encher o copo, e nem me tocava de que NÃO ERA PRA MIM, POXA VIDA!
- Caderneta pra me organizar? O que é isso? É de qual galáxia mesmo?

Enfim, histórias tenho desde meus 12 anos, mas agora, quero da proxima vez, contar como estou bem, mais feliz e sem aquela culpa de viver NO MUNDO DA LUA!

Fico mais feliz ainda pelos meus 2 filhos de 18 e 10 anos que já estão diagnosticados e tratados, assim, serão com certeza pessoas mais seguras e realizadas!

Bola pra frente!

O que será do meu futuro?

Texto por Luiz Guilherme

Por mais dificil que seja me concentrar nesse texto, vou contar um pouco da minha vida podendo escrever coisas sem nexo devido a distração.

Sempre fui um garoto agitado, bagunceiro, adorava brincar e nunca parei quieto na sala de aula. Uma vez uma professora minha me falou que eu não seria ninguém se não trabalhasse para o meu pai e isso me dexou muito chateado.Reprovei a 5a., 6a. e 7a. séries e hoje curso supletivo, trabalho na área de direito com meu pai e vejo que minha vida não tem sentido nenhum.

Não consigo ficar parado 5 minutos em uma cadeira ou sair para fazer as coisas para ele sem me estressar, pois sou muito irritado e estressado como qualquer TDAH. Chegou uma época que comecei usar maconha e eu sempre era o que mais pirava por ter tdah, vi minha vida afudando, pensei em me matar várias vezes, já até tentei me enforcar... Mas parei com a maconha e fiquei viciado em cigarro, pois isso é a unica coisa que me acalma e tira a merda da bateção de pernas que eu tenho, que começa me deixar louco e faz minha concentração dimiuir rapidamente.

Hoje parei de fumar e tento fazer o máximo de mim. Uso ritalina e modafinil, igualo os dois para ser mais concentrado que um ser humano normal para render no trabalho, e quando os remédios pararem o efeito, como vai ser? O que vai ser no meu futuro? Já estou velho e nao fiz ensino medio? Minha familia sempre foi de pessoas ricas e estudiosas nas faculdades, levando premios, e eu nessa vida medíocre? Tento até hoje uma terapia mas nunca encontrei alguem que me entenda.



http://www.tdah.net.br/contesuahistoria.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget