CLIQUE EM Nossos anuncios.

CLIQUE EM Nossos anuncios.

Seguidores do Saber !

Direitos de Imagens

Direitos de Imagens
Toda imagem visualisada neste blog,são de origem do Google

quinta-feira, 22 de maio de 2014

RESILIÊNCIA




 Como enfrentar os problemas da vida – Comunicação intrapessoal


Qual é a sua atitude diante da doença, do desemprego, da falta de dinheiro, de um perigo iminente, de uma situação estressante que acontece repentinamente? Você foge, chora ou enfrenta? Como você reage? Você deixa tudo como está, porque “a vida é assim mesmo…”, “é a vontade de Deus…”, ou enfrenta a situação, e busca, na fé e na esperança, na luta, a solução para o problema? Como você se comunica consigo mesmo? É importante responder a essa pergunta, porque, no fundo, a maneira como interpretamos as situações da vida é que vai determinar nossas reações e suas consequências. Isso é comunicação, chamada intrapessoal, que pode ser boa ou ruim.
Você já ouviu falar em resiliência? O termo tem origem no inglês – resilience – e significa a capacidade de alguns materiais resistirem a pressões ou impactos e voltarem à sua forma original. Uma mola, por exemplo.
Na psicologia, porém, que é o que nos interessa, resiliente é aquela pessoa que tem a capacidade de enfrentar problemas, crises, doenças, traumas e perdas, elaborando cada acontecimento e se recuperando da situação sem muito sofrimento. É a capacidade de suportar as dificuldades, aprender com elas usando a flexibilidade emocional e a razão, para encontrar a solução necessária. Umas pessoas são mais resilientes do que outras, mas todos nós podemos aprender e desenvolver essa capacidade. Então, eu pergunto: como anda sua comunicação intrapessoal?
Muitas vezes passamos por situações ou vivemos a vida de modo fatalista, de uma maneira destruidora, nada sadia, sem saber que podemos vencer qualquer dificuldade, por mais difícil que seja. Diante de uma situação difícil ou mesmo impossível de ser mudada, simplesmente nos acomodamos e aceitamos tal situação passivamente. Parece que nossa fé está baseada no negativo, no medo, na autopiedade. Muitas pessoas pensam que a vida é assim mesmo, que é o destino. Assim, elas se conformam e se acomodam. Desse modo, vivemos baseados nos fracassos do passado, nas incertezas do futuro e deixamos de viver o momento presente, que é o que realmente importa. Mas estamos errados em viver dessa maneira! Nesse caso, está faltando a comunicação interna.
François Fénelon (1651-1715), um dos maiores interpretes da mística, escreve: “uma das regras mais importantes da vida espiritual consiste em concentrar-se no momento presente”. o jesuíta Jean Pierre de Caussade (1675-1751) alude, em seus escritos, a um “sacramento do momento presente”. Portanto, nossa atitude diante de uma dificuldade pode ter um significado nada espiritual, antievangélico, dependendo do modo como a enfrentamos.
Temos, também, o péssimo hábito de culpar a Deus por tudo o que acontece conosco e com os outros: “Ah, foi vontade de Deus!” Não é assim que falamos? Ou, então, “a vida é assim mesmo!”; “eu nasci pra sofrer mesmo!”; “as coisas nunca dão certo pra mim!”; “Deus se esqueceu de mim!” “Fulano é que é sortudo!” Coitadinho de nós! Como somos pequenos, injustos, ignorantes, acomodados. Como somos conformados! Deus é responsável por todos os nossos problemas, dores e sofrimentos? Mas, será que é isso que Deus deseja para nós? Será que tem que ser assim? Será que esse é o nosso destino? Ou será que nos comunicamos mal conosco mesmos?
Não podemos ser, pensar e agir dessa maneira. Não podemos ser fatalistas, sofredores, desanimados, acomodados. Nós estamos abrindo mão e, às vezes, dizendo não à nossa própria vida! Nós somos filhos de Deus, criados à Sua imagem e semelhança. Somos mais que vencedores. Somos imbatíveis. “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” Não podemos cruzar os braços e deixar que as coisas simplesmente aconteçam. Devemos analisar cada situação, buscar soluções, lutar sem esmorecer, levantar a cabeça! Afinal de contas, ninguém vive por nós. Ninguém vive por mim nem por você. Opa! Parece que começa a surgir uma comunicação interna…


Muitas situações em nossa vida nos pede resiliência. Vamos, então, entender melhor essa palavra. Não controlamos tudo o que acontece em nossa vida. E, nesse caso, resiliência significa aceitar determinada situação, imutável ou não, mas com paz no coração, sem nos sentirmos derrotados, sem sermos fatalistas achando que o mundo acabou. Vejamos um exemplo.
Se você está doente, desempregado, passando por uma dificuldade qualquer, não me leve a mal, mas, até certo ponto o problema é exclusivamente seu! Digo até certo ponto, porque a partir do momento que nos levantamos para buscar soluções, o nosso problema passa a ser também de outras pessoas, como familiares, amigos e até mesmo de desconhecidos.
Viktor Frankl, criador da Terceira Escola de Psicoterapia de Viena, a Logoterapia, diz que não podemos fugir de nossos problemas. Devemos assumi-los como exclusivamente nossos – como são mesmo – e enfrentá-los com coragem e sabedoria. A Logoterapia explora o sentido existencial e espiritual do indivíduo. Para Frankl “a busca de sentido na vida da pessoa é a principal força motivadora no ser humano.” Ele desenvolveu seus estudos enquanto era prisioneiro dos nazistas, no campo de concentração de Auschwitz, na Alemanha, durante a II Guerra Mundial. Ele perdeu sua esposa grávida, seus pais e irmão no Holocausto. Mas diante de tanto sofrimento, ele agraciou a humanidade com seus estudos.
Vamos pensar numa doença como exemplo. A pessoa recebeu o diagnóstico de câncer. É claro que num primeiro momento ela vai sentir medo e ter muitas dúvidas; vai questionar Deus e o mundo; vai se sentir impotente e sozinha. Tudo isso é normal e humano diante de uma notícia dessas. O que fazer, então? Como ser resiliente diante de uma realidade tão dura?
Tudo começa com uma boa comunicação. Sabemos que não é fácil. Porém, acredito que devemos pensar da seguinte forma: tenho uma doença grave, mas existe tratamento. Não vai ser fácil, mas muitas pessoas venceram a doença. Temos muitos exemplos. Ok… Vai doer, vai ser difícil, vai envolver outras pessoas, vou gastar muito dinheiro, vou ter que me dispor de bens e o tratamento também pode não dar certo, MAS É A MINHA VIDA QUE ESTÁ EM JOGO! Se eu não lutar por ela, ninguém vai poder fazer isso no meu lugar. Então, vou erguer a cabeço, raspar o cabelo, usar um lenço, emagrecer, mas eu vou lutar até o fim. Mesmo diante das dificuldades não vou desanimar, não vou abaixar a cabeça nem me entregar. Estou doente, mas vou lutar pela minha cura. Só eu posso fazer isso. Se eu não lutar, nem as técnicas, equipamentos e medicamentos mais modernos vão poder me ajudar. O que depender de mim vou fazer em dobro. Vou exigir o máximo dos médicos, e o que estiver fora do nosso alcance vou colocar nas mãos de Deus. Ele é o Senhor da minha vida e só deseja o meu bem e a minha felicidade. E essa maneira de pensar vale para todo e qualquer tipo de problema. Nada como uma boa comunicação interna para melhorar os ânimos.
E não se trata só de pensamento positivo. É uma atitude de vida, de postura, de comportamento. É a resposta a um problema com a mesma força e intensidade, porém, em sentido contrário. Lembra da mola?
Portanto, resiliência é aceitar uma situação conscientemente, mas não se entregar a ela de maneira derrotista. Só assim tudo se torna mais fácil. Também não podemos nos esquecer de que Deus está sempre conosco. Ele nunca nos desampara, Ele nunca nos abandona. Mas precisamos ir à luta. Precisamos mostrar a Deus nosso desejo de vencer. A pessoa acomodada corre um sério risco de, simplesmente, passar pela vida.
Vá atrás de seus sonhos, levante a cabeça, busque soluções para os seus problemas, sejam eles quais forem. Não tenha medo ou vergonha de pedir ajuda, de se abrir, de se comunicar. Agindo assim as soluções virão da mesma forma que vieram os problemas. Saiba que, nesses casos, Deus só nos diz, Sim. Se cruzarmos os braços – sinal de conformismo – Deus, entristecido, vai nos dizer, sim! Mas, se arregaçamos as mangas e sairmos do nosso comodismo, Deus, de forma poderosa, também vai nos dizer, SIM! E não importa o seu credo, a sua espiritualidade.
Então, comunique-se consigo mesmo, de modo consciente, comunique-se com Deus e com as pessoas que podem ajudar.

http://cassioabreu.com.br/resiliencia/

Se foi útil compartilhe

Um comentário:

  1. A vida é feita de desafios, e precisamos enfrenta-los. O que não podemos é ficar lamentando.

    Abraço

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget

Crianças Felizes Demais Nosso Blog!