Seguidores do Saber !

Direitos de Imagens

Direitos de Imagens
Toda imagem visualisada neste blog,são de origem do Google

domingo, 11 de setembro de 2011

TDH e TDAH III


Continuação III:TDH e TDAH



Dificuldade de Esperar Ser Atendido (Impaciência)

Esperar é algo com que as crianças com TDA não conseguem lidar. Quando elas colocam na cabeça que querem alguma coisa, elas podem ser imensamente insistentes até conseguirem realizar seu desejo.

Já na escola, a dificuldade de esperar sua vez pode ser manifestada de várias formas: empurrar para ser a primeira da fila, para sair em primeiro lugar para o recreio. O trabalho tem uma aparência de desorganização, a caligrafia pode ser descuidada. As crianças com TDA, em sua maioria, apresentam problemas de coordenação motora fina ou de coordenação visual-motora fina ou até mesmo uma combinação de ambos.

Duas situações de extrema ansiedade e impaciência são vivenciadas no dia de aniversário e no Natal. A criança fica em grande excitação querendo ganhar logo os presentes.

Hiperatividade

Hiperatividade significa inquietação motora excessiva e agressiva. É como se a criança estive “ligada na tomada”. A tendência é de que, com o crescimento, a hiperatividade diminua. As garotas com TDA costumam ser menos hiperativas e impulsivas.

Superexcitação Emocional

Grande intensidade de sentimento acompanha a criança hiperativa. Normalmente, ela não consegue enfrentar apenas um pouco de emoção. Pelo contrário, para ela tem sempre que ser bastante. Elas vivem intensamente a felicidade ou o entusiasmo e a raiva. Ao ficar muito excitada, a criança com TDA poderá entrar numa rotina denominada “hiperboba”. “Ela poderá correr de maneira frenética, falar alto, agir como um pateta e, em geral, fazer-se de tola”. (FHELAN, 2005, p.25). Todos, à volta, perceberão a cena inusitada, apenas a criança com TDA não se dará conta, pois ela é insensível a essas situações sociais. A crianças portadoras desse transtorno não são capazes de perceber o desprazer que estão causando, nem mesmo são capazes de ouvir o que lhes é dito. Ao ficar com raiva, elas podem ter ataques de birra, de uma fúria insana. Momentos como esses podem levar quem assiste a pensar que essas crianças são ou não psicóticas. O mais admirável é que esses momentos desaparecem tão rapidamente quanto começaram, deixando os presentes perplexos.

Pesquisas recentes mostram que além de momentos de entusiasmo e raiva, outras emoções podem ser exageradas, como por exemplo, a ansiedade, a depressão, a tristeza, a baixa auto-estima.

Desobediência
É bem normal dizer que a criança com TDA não tem limites, não segue regras. O conhecimento ou não das regras não é o problema. Elas são capazes até mesmo de ditar as regras combinadas, no entanto, num momento de superexcitação emocional o descontrole toma conta delas. “O TDA não é um problema de não saber o que fazer, é um problema de fazer o que se sabe”. (FHELAN, 2005, p.27).

A desobediência típica do TDA é a razão pela qual entre 50% a 60% das crianças se encaixem no diagnóstico do DSM para o Transtorno e Desafio e Oposição (TDO). Essas crianças perdem a paciência com facilidade, parecem se ressentir de tudo, gostam de irritar os outros e de culpá-los por qualquer coisa que dê errado. Às crianças com TDA, nunca podemos pedir que façam três coisas em seqüência. Possivelmente ela conseguirá cumprir uma só. O fato dela atender sua solicitação já é incomum.




http://www.valeriareani.com.br/

Um comentário:

  1. Mais uma vez, obrigada pelas dicas. estou cuidando de uma criança com diagnóstico de hiperatividade com transtorno de ansiedade. Suas postagens têm me sido muito útil. sucesso

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget