Seguidores do Saber !

Direitos de Imagens

Direitos de Imagens
Toda imagem visualisada neste blog,são de origem do Google

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Desabafos e Depoimentos

Isso mesmo,  não é uma questão de achar menos capaz, como vc disse, é uma questão de adaptação.Mas para muitos pais, essa adaptação não é fácil. E pelos casos que eu vejo (não só de TDAH, mas de outros transtornos e doenças tb), na maioria das vezes essa dificuldade não tem relação nenhuma com falta de amor ou descaso, tem a ver com outras dificuldades.
O que eu quis dizer com o meu comentário é que, no geral, a sociedade idealiza demais o papel dos pais, esquecendo de que ai e mãe têm dificuldades como qualquer outra pessoa. Para não generalizar demais, vou falar de mim. rs... Meu pai é um paizão, sempre foi. Desses pais companheiros, sempre muito presente. Ele nunca me discriminou por eu ter TDAH, nunca deixou de me incentivar, mesmo antes do diagnóstico sempre  me apoiava, qd eu tinha alguma dificuldade. No entanto, qd me coloco no lugar dele, eu acho realmente que para ele, muitas vezes, deve ter sido difícil conviver comigo, ele deve ter sim se decepcionado, é normal, ele é humano.
Acho que qd a criança é diagnosticada, os pais tem a chance de entender muitas dificuldades que esse indivíduo tem
ao longo da vida. Comigo não foi assim. Fui diagnosticada com 27 anos, depois de já ter concluído meu curso superior.
No entanto, antes de concluir essa graduação, eu já tinha entrado e largado 4 faculdades.
Para o meu pai, que construiu uma carreira muito sólida, o parâmetro que ele tinha pra mim e para minha irmã, era ele.
Ser igual a ele não era uma exigência, mesmo pq ele sempre soube que isso não existe, mas a expectativa de que eu entrasse na faculdade, me formasse, começasse a trabalhar, existia e acho super normal. Com a minha irmã, que não tem TDAH, foi assim, ela entrou na faculdade aos 17 anos, se formou aos 22 e começou a trabalhar. Se pra mim era angustiante e sofrido demais entrar em um curso e depois largar, sem nem imaginar a razão disso, imagino que pra ele tb tenha sido.

Desabafos e depoimentos Tdah







Se for ver , é uma simples questão de entender que somos todos indivíduos e como indivíduos cada um funciona de uma forma .
Porém todo mundo diz:
Que um é diferente do outro , ninguém é igual a ninguém.
Mas quando passa para prática , a sociedade deseja que todos funcionem de uma mesma forma como uma máquina .
Então fica essa CONTRADIÇÃO


Artigo 1º:Não tem jeito, todo pai e minha mãe constroem uma imagem que querem para
os filhos. Nessa imagem, tem o desejo de que sejam bem-sucedidos, que sejam felizes, mas não o desejo de que
tenham TDAH. Da mesma forma que o meu  pai teve que desconstruir muito dessa imagem que ele tinha criado
para mim, eu tb tive que fazer isso em relação à ele. Pais são pessoas normais e muitas vezes não nos
damos conta disso. Da mesma forma que nós, eles também  possuem limitações, tb sofrem, tb têm as suas dificuldades. No entanto,
esperamos que eles sempre possam compreender tudo, que sempre saibam de tudo e, na verdade, não é
assim.  Acho que a partir do momento que passamos a nos responsabilizar mais por
nós mesmos, essa relação tende a ficar tb mais serena. Seria ótimo que todos que nos cercam soubessem o
que é TDAH, lessem sobre o  assunto, mas não é assim. No entanto, a partir do momento que passamos a
saber mais sobre o assunto, nos  comprometemos com o tratamento e ficamos cientes das nossas limitações,
a relação com o outro fica muito mais fácil, seja esse outro nossos pais, irmãos, familiares, amigos,
namorado, marido, enfim, seja quem for.
 


Artigo 2º:
Leitores, eu sou mãe de DDA e não acho meu filho menos capaz que qualquer outra pessoa, apenas compreendo suas dificuldades e limitações, assim como todos temos e precisamos nos adptar. Não precisam deixar seus sonhos de lado por causa de uma síndrome, aprender a contornar, cair e levantar, faz parte de qualquer processo de qualquer ser humano. Entendo que muitos pais idealizam uma vida para seus filhos, mas não é o TDAH que vai fazer ele seguir outro caminho.
Conheço muitos pais de filhos "normais", decepcionados pq seus filhos não seguiram as carreiras que eles esperavam!
Mas que são pessoas felizes com suas escolhas. E isso é o mais importante, não o que vc faz, o que vc é, mas que seja feliz, e é isso que eu quero para meu filho. Infelizmente temos pais muito desapegados, desinformados, atarefados de mais ou simplesmente que não querem saber, pois é mais fácil ignorar do que ajudar.
Só para concluir: ontem vi uma matéria, no meu estado, sobre um jovem, com paralisia cerebral, que está se formando na faculdade com as melhores notas da turma. Não que isso nos incentive a exigir o que uma pessoa não pode dar, mas nos espelharmos em pessoas assim.
Lamento por esses pais que perdem a oportunidade de fazerem a diferença para seus bens mais preciosos, estreitarem os vínculos, mostrarem seu amor de forma externada, enfim, de cumprirem o papel a qual se propuseram.

Fonte google seu autoria definida

MATERIAL DE TDAH USADO NO CONGRESSO!!








DESATENÇÃO
• Dificuldade em prestar atenção a detalhes ou errar por descuido em atividades escolares e profissionais;
• Dificuldade em manter a atenção em tarefas ou atividades lúdicas;
• Parecer não escutar quando lhe dirigem a palavra;
• Não seguir instruções e não terminar tarefas escolares, domésticas ou deveres profissionais;
• Dificuldade em organizar tarefas e atividades.
• Evitar, ou relutar, em envolver-se em tarefas que exigem esforço mental constante;
• Perder coisas necessárias para tarefas ou atividades;
• Ser facilmente distraído por estímulos alheios à tarefa;
• Apresentar esquecimentos em atividades diárias.

HIPERATIVIDADE
• Agitar as mãos, os pés ou se agitar na cadeira;
• Abandonar a cadeira em sala de aula ou em outras situações nas quais se espera que permaneça sentado;
• Correr ou escalar em demasia em situações nas quais isto é inapropriado;
• Dificuldade em brincar ou envolver-se silenciosamente em atividade de lazer;
• Estar frequentemente “ a mil” ou mais vezes agir como se estivesse a todo vapor;
• Falar em demasia.




IMPULSIVIDADE
• Frequentemente dar respostas precipitadas antes das perguntas terem sido concluídas,
• Apresentar constante dificuldade em esperar sua vez;
• Frequentemente interromper ou se meter em assuntos de outros.

OLÁ PESSOAS, ESTE MATERIAL FOI UTILIZADO NO CONGRESSO DE TDAH !

É UM MATERIAL ILUSTRATIVO, CLARO E OBJETIVO!
TERESA CARNEIRO

http://matecarneiro.blogspot.com.br/2009/08/material-de-tdah-usado-no-congresso.html
Ocorreu um erro neste gadget

Crianças Felizes Demais Nosso Blog!